imgp1481.jpg

Cutia

Dasyprocta azarae

A cutia é um mamífero roedor da família dos dasiproctídeos. No Brasil, existem sete espécies, todas terrestres e de hábitos noturnos. Durante o dia, ela se abriga em tocas de outros animais ou ocos de paus. Vive em matas, capoeiras e plantações, do sul do México até o Uruguai, e alimenta-se de frutos e sementes caídos das árvores. Seu peso varia entre 1,5 e 5,9 quilos e ela pode medir até 64 centímetros. O corpo da cutia é grosso, sua cabeça é alongada, tem orelhas pequenas e quatro dentes incisivos longos e curvos, próprios para roer. A cauda é diminuta. As patas anteriores são bem menores do que as posteriores, o que faz das cutias boas saltadoras. Elas têm três dedos desenvolvidos, com unhas cortantes. Os pelos da cutia são ásperos e longos, de cor vermelho-amarelada. Como os cães, a cutia costuma enterrar alimentos (sementes), que desenterra em tempos de escassez. Por isso, é considerada importante dispersora de espécies vegetais. As cutias se comunicam entre si pela audição e pelo olfato: espalham odores deixados pela secreção de uma glândula anal e pela urina. Esse odor serve também para delimitar território. Em caso de perigo, emitem um som surdo semelhante a um tiro. A cutia fêmea dá à luz de um a dois filhotes por vez, depois de um período de gestação que varia de 104 a 120 dias. São animais de ocorrência exclusiva do continente americano. São roedores de médio porte. Há 14 espécies conhecidas, porém apenas uma ocorre no RS: Dasyprocta azarae.

Cutia (1).jpg
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram